Não se esqueça dos sapatos!

Vontade de usar um salto, não é minha filha? Apropriando do famigerado meme do Dr. Drauzio Varella começo a coluna perguntando, e os saltos? como ficam em época de pandemia? Com bares, restaurantes, festas e eventos em reclusão, os queridinhos das mulheres estão esquecidos nos armários e closets mundo afora.

Mesmo algumas mulheres adorando esse relaxar dos pés, temos que convir que esse item é indispensável para quem é elegante e sofisticada. Uma pesquisa realizada pela empresa “Pés Sem Dor”, indicou que apenas 2% das mulheres brasileiras não usam salto alto. Um questionário respondido por 1835 mulheres de todas as faixas etárias revelou ainda que elas costumam ter uma média de 7 a 8 pares de sapatos de salto alto.

Mas, aonde quero chegar com tudo isso? Simples, não esqueça dos seus sapatos, eles devem estar com saudades de você! Assim como suas roupas, os sapatos precisam de cuidados especiais.Você já foi vestir um par de sapatos que não usava há algum tempo e reparou que ele estava descascando? Pois é, ele não foi armazenado corretamente.

Vai ao mercado, se arrume. Não é porque estamos em momento crítico que você precisa parecer que saiu de um filme de terror. Em casa, fique uma ou duas horas com um sapato que não tem usado. Passe hidratante e aproveite para montar looks para arrasar quando tudo voltar ao normal.

Ser elegante é ter conteúdo

Estamos passando por um momento adverso em nossas vidas. Uma pandemia mundial, a primeira e espero que única da nossa geração. Ela veio para transformar a forma como vemos o mundo e a sociedade e temos o dever de aprender algo com isso.

Quem nunca ficou horas escutando alguém falar sobre diversos assuntos porque ficou maravilhado com a qualidade do conteúdo? Ou que convidou alguém para uma festa somente porque essa pessoa entretém os convidados com suas histórias ou conhecimentos? Esse tipo de pessoa é sempre bem quisto e bem vista aonde quer que vá. E isso, não é por acaso. Estar ao lado de pessoas educadas e inteligentes é o ápice social.

Uma boa dica é separar alguns minutos do seu dia e leia sobre um assunto aleatório. Sabe aquele livro que você ganhou de um amigo oculto na festa da empresa? Ou de aniversário? Pode começar por eles. Tente criar um hábito para leitura. Depois do almoço, ou antes, de dormir é perfeito.

Nas redes sociais é comum ver pessoas discursando sobre assuntos como, política, economia e atualidades. Que tal ler mais sobre esses assuntos antes de dar sua opinião, para que ela seja embasada em critérios técnicos? E, acima de tudo, cuidado com as famosas “fake news”. História da arte, literatura, do Brasil e mundial, são ótimos assuntos. Cursos online gratuitos também são excelente opção. Vamos começar?

Noiva elegante nos dias atuais

Foto: William Fujiki

Já faz um tempo que recebo pedidos de vocês leitoras para falar sobre noivas. De 10 pedidos, 8 são sobre como ser uma noiva “fina”, vulgo elegante. Quem nunca abriu o álbum de casamento dos pais e se perguntou como ela teve coragem de usar tal modelito, maquiagem ou penteado? Isso é mais comum do que você imagina.

Para você não cair na armadilha da moda, vou dar algumas dicas infalíveis para que daqui 30 anos você continuar se achando linda.

A primeira dica é: menos é mais sempre. O visual da noiva clássica nunca sai de moda. Por isso, independente do estilo que você tiver, procure um modelo clássico, dentro do seu estilo. O branco puro é para poucas, teste mais de uma tonalidade e veja qual fica melhor em você. Os profissionais de consultoria de imagem ajudam muito.

Use os cabelos presos. É fato que muitas noivas querem usar os cabelos soltos com ondas à la Gisele Bündchen, mas quanto tempo esse cabelo perdurará intacto? No máximo duas horas eu diria. Que tal se manter impecável do começo ao fim da festa? Um belo coque alto trabalhado arrematado por uma tiara ou arranjo de cabelo é sofisticado e você estará linda em todas as fotos.

Os acessórios, assim como o buquê, devem ser atemporais. Pérolas e brilhantes nunca saem de moda. A maquiagem, mais do que imagina, merece atenção. Buquê: @arcoirisdecore. Cabelo: @umjuniorlima. Maquiagem: @bykellykarina. Vestido: @templofashion. Acessórios: @rodrigoschinor. Foto: @williamfujikifotoefilme. Modelo: @tatirigotti. Produção: @ellderanunciato..

A moda depois da pandemia

Caro leitor, a coluna desta vez vem um pouco diferente. Falaremos sobre o que esperar da moda pós pandemia.

É fato que já faz um tempo que o circuito “fashion” sofre drásticas mudanças devido aos novos hábitos de consumo da população. Isso não é novidade nenhuma. Na história da moda o contexto histórico dita a moda. Por exemplo, durante a primeira guerra mundial, muitas mulheres passaram a utilizar saias mais curtas pois, foram inseridas no mercado de trabalho. Também, começaram a utilizar bolsas para guardar os seus pertences.

Um grande movimento aconteceu em 2016, na Semana da Moda de Londres, no desfile da marca Burberry. Surge nas passarelas o conceito “See now buy now”, “Veja agora, compre agora”. A indústria “fashion” contudo, começa a perceber que o cliente do século 21 é diferente e as marcas precisam cada vez mais ter a sua identidade definida. O slogan “Nada se cria, tudo se copia” já não cabe nesse contexto. Afinal, como uma marca poderia copiar a outra se o cliente quer consumir o “agora”?

O cliente percebe algumas mazelas e já não aceita empresas que não se adequam a Responsabilidade Social Empresarial. Nesse período de reflexão, clientes e marcas estão repensando a forma de consumir e agradar. Veremos a guerra das marcas para sobreviver a um consumidor exigente, menos impulsivo. Quem sairá na frente? Alguma aposta?

A Criança e as Boas Maneiras!

Quem não fica surpreendido com uma criança extremamente educada, que pede “por favor” e “com licença” e de quebra fala” obrigado” quando necessário? Para você que acreditou que eu iria ensinar passos mágicos de como controlar a turminha do barulho, sinta-se enganado porque o maior recado hoje será para vocês “papais e mamães” que devem acima de tudo dar o maior exemplo.

A primeira coisa que devemos alertar é sobre o nosso comportamento na frente dos pequenos. Falamos as palavrinhas mágicas sempre que preciso? Sentamos à mesa para fazer as refeições? Somos pacientes quando temos problemas? O universo deles é bem diferente do nosso e até que eles cresçam, podemos nos respaldar em algumas regras:

– A criança precisa ter hábitos, pois isso as torna mais confiantes e seguras.

– A visita à casa de amigos e parentes quando se têm crianças pequenas deve ser inteiramente planejada.

– Crianças que não completaram três anos, necessitam de ambientes que não ofereçam nenhum perigo.

– Se você precisa disciplinar seu filho, não o faça na frente dos outros. Leve-o para um lugar isolado.

– A regra quando é quebrada deve ser enfatizada na hora. Você não está fazendo favor a ninguém ignorando o mau comportamento.

– Ensinar as boas maneiras é uma das maiores formas de demonstrar carinho e dar atenção..