Arco-íris!

A coluna desta semana será dividida em três partes. Vou falar essa semana sobre as cores e como elas tem um poder enorme de influência na nossa imagem e em nossos comportamentos. Todas as cores passam mensagens e devemos deixar o preconceito de lado e cair de cabeça no mundo colorido. Assim, vamos fazer como o grande pintor Gauguin, uma vez ele disse: “Rejeite o preto e aquela mistura de preto e branco que chamam de cinza. Nada é preto, nada é cinza.”.

Vamos começar falando do azul, essa cor passa segurança, credibilidade e é a cor predileta de homens e mulheres. Não é à toa que grande parte das empresas escolhem essa cor para ilustrar sua logomarca ou pintar suas paredes. Para os homens, a cor sequência é o verde. O verde é muito relacionado ao meio ambiente por motivos óbvios. Também, é a cor do sucesso. Passa tranquilidade e hospitais adoram essa cor em tons pasteis.

A segunda cor queridinha das mulheres é o roxo. Não torça o nariz! O roxo ao contrário do que muitas pessoas pensam é uma cor incrível ligada a nobreza e sofisticação e não a eventos fúnebres. Nobres vestiam roxo e o Papa até o século XV também. Só depois que roxo foi substituído pelo vermelho que simboliza, o sangue de Cristo. Intelectuais adotaram o roxo e mulheres muito inteligentes foram queimadas como bruxas, assim, a cor acabou sendo associada ao ocultismo que nada mais era que o estudo do desconhecido. E antes que você pense besteira, medicina e astrologia era ocultismo naqueles tempos.

Que tal combinarmos um exercício, ao longo dessa semana separe o seu armário por cores. Quero saber qual é a predominante. Topa?

Mais que essencial: vital!

Para muitas mulheres a bolsa é artigo indispensável para colocar os pés na rua. Com uma enorme lista de variedades e estilos quem precisa carregar seus pertences por aí, não fica sem ela. Vocês, leitores da coluna, sempre me pedem dicas de modelos e cores desse acessório tão importante. Assim, resolvi fazer um tutorial para ajudá-los a encontrar o modelo ideal.

Primeiro, tente avaliar o seu estilo de vida e rotina. Se você não sai nunca para compromissos sociais, uma bolsa de paetê não cabe no seu armário. As básicas, são sempre as melhores opções. As de tamanho médio também. Avalia-se, uma mulher muito voluptuosa, não fica bem com uma bolsa muito pequena. O mesmo se você for muito pequena e usar uma bolsa muito grande. Vai parecer uma criança que roubou a bolsa da mãe.

Na hora de comprar, se não possui nenhuma ou quer renovar seu guarda-roupa, eu indico três: preta básica, branca, off white, creme ou caramelo, e colorida. Ambas de tamanho médio e atente-se para que elas não tenham muitos metais expostos.

Também é válido ter uma menor para festas ou eventos noturnos. Preta, nude, cinza ou creme. Existem três tipos de bolsa: as de alças longas, médias e as de mão. Todas devem ser carregadas do lado esquerdo e a mão direita deve estar sempre livre, para cumprimentar as pessoas. Nada de bolsas transpassadas: você não é o carteiro, ok?

E pochetes não são bolsas. É a chacota da moda que deveria ficar nos anos 80.

Se joga na jogger!

Jogger ou Jogging? Tanto faz, hoje vamos falar sobre essa peça que está fazendo a cabeça de homens e mulheres de todas as idades e estilos. Ela é muito confortável.

Com uma base mais larga e punhos no calcanhar, ela tem um molde bem esportivo. Porém, a moda é cheia de surpresas e me recordo de um desfile de 2005 em que fiz uma produção de uma calça dessas com um scarpin vinho de verniz. Todos adoraram e o look foi recriado por colegas.

Hoje, ela perdeu o ar fashionista e entrou para o armário até das mais clássicas. Inclusive os homens aderiram a ideia e estão bombando por aí com a peça. Mas, como combiná-la? Simples: existem duas regras. Ou você a utiliza num visual mais esportivo com tênis, ou a combina com scarpins ou sandálias de saltos altos sofisticados. Seguindo essas regras, você não irá errar no look. Atente-se ao material da calça. Por exemplo, uma jogger de cetim de seda cabe perfeitamente para eventos e baladas noturnas. As mais despojadas, ficam ótimas para o dia-a-dia. Na quarentena então, nem se fale!

Os homens, também, precisam se atentar ao calçado. Nada de tênis de academia se o intuito é sair para badalar. As de sarja em tons neutros são elegantes até para se usar com blazer. Demais, não é mesmo?

Como essa calça já é muito despojada, escolha peças elegantes para combinar. Acessórios mais finos e até brilho valem a investida. Para os rapazes, o hit está na camuflada.

Qual é o seu jeans ideal?

Quando Levi Strauss criou o modelo de calça jeans para os trabalhadores no século 19, ele jamais imaginou que essa peça se tornaria tão querida e amada por todos. Não há uma pessoa no mundo que vai contra a democrática calça. Mas, com tantos modelos no mercado, você sabe qual fica melhor no seu corpo?

A paixão nacional, principalmente das mulheres, é o jeans mais sequinho, ‘skinny’, porém, ele é muito perigoso. Se você tem quadris largos ou coxas grossas fuja desse modelo. Opte por uma modelagem mais reta ou flare. Assim, o visual ficará mais coerente.

As mais sequinhas são perfeitas para usar com blusas mais soltas e se você tem pouco quadril use e abuse delas. Se for baixa, preste atenção na bainha para ela não ficar sobrando. O ideal é dobrar ou mandar para uma costureira fazer corretamente. Se ela tiver cintura alta melhor ainda, isso ajuda, e muito a alongar a silhueta.

Lembram da calça boca de sino tão popular nos anos 70? Pois é, ela se reinventou e ficou conhecida como flare. Ideal para disfarçar os quadris, chama toda a atenção para a barra. Use-a com sapatos de salto e opte por uma que quase esbarra no chão, assim, ela dará a impressão de que você é mais alta.

A coloração também é importante. Siga as regrinhas básicas: quer passar a sensação de pernas grossas, opte pelas mais claras. Quer diminuí-las, opte pelas mais escuras. Agora, arrase na compra de sua calça jeans e acerte sempre!

Não se esqueça dos sapatos!

Vontade de usar um salto, não é minha filha? Apropriando do famigerado meme do Dr. Drauzio Varella começo a coluna perguntando, e os saltos? como ficam em época de pandemia? Com bares, restaurantes, festas e eventos em reclusão, os queridinhos das mulheres estão esquecidos nos armários e closets mundo afora.

Mesmo algumas mulheres adorando esse relaxar dos pés, temos que convir que esse item é indispensável para quem é elegante e sofisticada. Uma pesquisa realizada pela empresa “Pés Sem Dor”, indicou que apenas 2% das mulheres brasileiras não usam salto alto. Um questionário respondido por 1835 mulheres de todas as faixas etárias revelou ainda que elas costumam ter uma média de 7 a 8 pares de sapatos de salto alto.

Mas, aonde quero chegar com tudo isso? Simples, não esqueça dos seus sapatos, eles devem estar com saudades de você! Assim como suas roupas, os sapatos precisam de cuidados especiais.Você já foi vestir um par de sapatos que não usava há algum tempo e reparou que ele estava descascando? Pois é, ele não foi armazenado corretamente.

Vai ao mercado, se arrume. Não é porque estamos em momento crítico que você precisa parecer que saiu de um filme de terror. Em casa, fique uma ou duas horas com um sapato que não tem usado. Passe hidratante e aproveite para montar looks para arrasar quando tudo voltar ao normal.

Ser elegante é ter conteúdo

Estamos passando por um momento adverso em nossas vidas. Uma pandemia mundial, a primeira e espero que única da nossa geração. Ela veio para transformar a forma como vemos o mundo e a sociedade e temos o dever de aprender algo com isso.

Quem nunca ficou horas escutando alguém falar sobre diversos assuntos porque ficou maravilhado com a qualidade do conteúdo? Ou que convidou alguém para uma festa somente porque essa pessoa entretém os convidados com suas histórias ou conhecimentos? Esse tipo de pessoa é sempre bem quisto e bem vista aonde quer que vá. E isso, não é por acaso. Estar ao lado de pessoas educadas e inteligentes é o ápice social.

Uma boa dica é separar alguns minutos do seu dia e leia sobre um assunto aleatório. Sabe aquele livro que você ganhou de um amigo oculto na festa da empresa? Ou de aniversário? Pode começar por eles. Tente criar um hábito para leitura. Depois do almoço, ou antes, de dormir é perfeito.

Nas redes sociais é comum ver pessoas discursando sobre assuntos como, política, economia e atualidades. Que tal ler mais sobre esses assuntos antes de dar sua opinião, para que ela seja embasada em critérios técnicos? E, acima de tudo, cuidado com as famosas “fake news”. História da arte, literatura, do Brasil e mundial, são ótimos assuntos. Cursos online gratuitos também são excelente opção. Vamos começar?

Noiva elegante nos dias atuais

Foto: William Fujiki

Já faz um tempo que recebo pedidos de vocês leitoras para falar sobre noivas. De 10 pedidos, 8 são sobre como ser uma noiva “fina”, vulgo elegante. Quem nunca abriu o álbum de casamento dos pais e se perguntou como ela teve coragem de usar tal modelito, maquiagem ou penteado? Isso é mais comum do que você imagina.

Para você não cair na armadilha da moda, vou dar algumas dicas infalíveis para que daqui 30 anos você continuar se achando linda.

A primeira dica é: menos é mais sempre. O visual da noiva clássica nunca sai de moda. Por isso, independente do estilo que você tiver, procure um modelo clássico, dentro do seu estilo. O branco puro é para poucas, teste mais de uma tonalidade e veja qual fica melhor em você. Os profissionais de consultoria de imagem ajudam muito.

Use os cabelos presos. É fato que muitas noivas querem usar os cabelos soltos com ondas à la Gisele Bündchen, mas quanto tempo esse cabelo perdurará intacto? No máximo duas horas eu diria. Que tal se manter impecável do começo ao fim da festa? Um belo coque alto trabalhado arrematado por uma tiara ou arranjo de cabelo é sofisticado e você estará linda em todas as fotos.

Os acessórios, assim como o buquê, devem ser atemporais. Pérolas e brilhantes nunca saem de moda. A maquiagem, mais do que imagina, merece atenção. Buquê: @arcoirisdecore. Cabelo: @umjuniorlima. Maquiagem: @bykellykarina. Vestido: @templofashion. Acessórios: @rodrigoschinor. Foto: @williamfujikifotoefilme. Modelo: @tatirigotti. Produção: @ellderanunciato..

A moda depois da pandemia

Caro leitor, a coluna desta vez vem um pouco diferente. Falaremos sobre o que esperar da moda pós pandemia.

É fato que já faz um tempo que o circuito “fashion” sofre drásticas mudanças devido aos novos hábitos de consumo da população. Isso não é novidade nenhuma. Na história da moda o contexto histórico dita a moda. Por exemplo, durante a primeira guerra mundial, muitas mulheres passaram a utilizar saias mais curtas pois, foram inseridas no mercado de trabalho. Também, começaram a utilizar bolsas para guardar os seus pertences.

Um grande movimento aconteceu em 2016, na Semana da Moda de Londres, no desfile da marca Burberry. Surge nas passarelas o conceito “See now buy now”, “Veja agora, compre agora”. A indústria “fashion” contudo, começa a perceber que o cliente do século 21 é diferente e as marcas precisam cada vez mais ter a sua identidade definida. O slogan “Nada se cria, tudo se copia” já não cabe nesse contexto. Afinal, como uma marca poderia copiar a outra se o cliente quer consumir o “agora”?

O cliente percebe algumas mazelas e já não aceita empresas que não se adequam a Responsabilidade Social Empresarial. Nesse período de reflexão, clientes e marcas estão repensando a forma de consumir e agradar. Veremos a guerra das marcas para sobreviver a um consumidor exigente, menos impulsivo. Quem sairá na frente? Alguma aposta?

A Criança e as Boas Maneiras!

Quem não fica surpreendido com uma criança extremamente educada, que pede “por favor” e “com licença” e de quebra fala” obrigado” quando necessário? Para você que acreditou que eu iria ensinar passos mágicos de como controlar a turminha do barulho, sinta-se enganado porque o maior recado hoje será para vocês “papais e mamães” que devem acima de tudo dar o maior exemplo.

A primeira coisa que devemos alertar é sobre o nosso comportamento na frente dos pequenos. Falamos as palavrinhas mágicas sempre que preciso? Sentamos à mesa para fazer as refeições? Somos pacientes quando temos problemas? O universo deles é bem diferente do nosso e até que eles cresçam, podemos nos respaldar em algumas regras:

– A criança precisa ter hábitos, pois isso as torna mais confiantes e seguras.

– A visita à casa de amigos e parentes quando se têm crianças pequenas deve ser inteiramente planejada.

– Crianças que não completaram três anos, necessitam de ambientes que não ofereçam nenhum perigo.

– Se você precisa disciplinar seu filho, não o faça na frente dos outros. Leve-o para um lugar isolado.

– A regra quando é quebrada deve ser enfatizada na hora. Você não está fazendo favor a ninguém ignorando o mau comportamento.

– Ensinar as boas maneiras é uma das maiores formas de demonstrar carinho e dar atenção..

Aproveite bem as ofertas!

Estoques parados, troca de estação, isso significa em breve, é claro, muitas liquidações! Por toda cidade veremos logo: “Sale”, “Bazar”, “Liquidação”, etiquetas vermelhas e outras firulas para chamar a atenção do consumidor enlouquecido por compras. Porém, devemos ficar atentos às peças na hora de adquirir para não cairmos na armadilha do consumismo. Evite cair na tentação de comprar aquela peça ousada.

É importante também saber a necessidade do produto e refletir sobre as combinações que você poderá fazer com ele. Faça perguntas como: Essa peça combina com pelo menos três outras em meu guarda-roupa? Com que frequência pretendo usar? O desconto vale realmente a pena?

Sempre falo para minhas clientes que antes de cair na tentação da liquidação, veja a peça, experimente, e vá dar uma volta ou tomar um café. Se você não conseguiu parar de pensar nela nem por um segundo, a hora de adquiri-la é agora. E sempre que comprar alguma coisa, retire outra igual do seu armário.

Outra dica é entrar em lojas que você não costuma entrar. Temos a mania de julgar uma loja pela sua aparência. Às vezes você pode se surpreender com descontos maravilhosos e de quebra usar uma marca tão desejada outrora.

Gostaram das dicas? Não deixem de me seguir no instagram: @ellderanunciato. E se quiserem sugerir temas relacionados a moda, etiqueta e comportamento é só mandar um email: [email protected]